Brasil Vintage

Por Murilo Sanches Rodrigues


O Brasil regrediu aos anos 1.500. Destruição e exploração insustentável dos recursos naturais. Os governantes atuam como os donatários das capitanias hereditárias, passando o poder para suas gerações mais novas e sua política econômica é baseada em commodities: soja, milho, gado etc.


Hoje, nossa relação com os EUA assemelha-se à de um pacto colonial: Brasil é colônia e sua metrópole os EUA. A metrópole constata que a cloroquina, além de não surtir qualquer efeito contra a Covid-19 e seus efeitos colaterais podem levar seus usuários à morte. Então, num gesto nobre, manda seu estoque de veneno para a colônia, que agradece enternecida.


Agora, a metrópole ameaça a colônia, afirmando que esta poderá sofrer consequências nefastas como redução de investimentos americanos e de importações dos produtos da Terra Brasilis. Esse cascudo acontecerá no caso do governo(?!) tupiniquim optar pela tecnologia 5G comunista - entenda-se a empresa chinesa Huawei. A metrópole está em guerra fria(ô cafonice!) com a China e tem receio de que o país de Xi Jinping deite e role na colônia, dado que aqui não há política de proteção à propriedade intelectual, ou seja, aqui é a terra onde o "foda-se" é institucionalizado.


Mas não se preocupem porque há sinais de avanço.


Como nosso governo(?!) é "vintage" em termos de ideologia política e de modelos de administração(vide o novo Plano Marshall), daqui a pouco iniciará uma revolução industrial. Para que inventar a roda, né malandragem?


Já estou relendo A Riqueza das Nações.